comida

Os melhores morangos do mundo? Há quem pague quase mil euros para os comer

São cultivados com regras muito específicas no Japão e há até quem os compare a verdadeiras joias.
O aspeto dos ditos morangos.

Antes de mais, temos que vincar, pelo menos, duas ideias antes de avançarmos esta história. A primeira é de que todos concordamos que morangos são das frutas mais consensuais que existem. A outra é que, mesmo o melhor morango do mundo, não deixa de ser apenas e só um morango.

Posto isto, impõe-se uma pergunta: o que leva alguém a pagar quase mil euros por 500 gramas deste fruto? Ou melhor: o que têm de tão bom estes morangos para levar alguém a cometer semelhante loucura?

Por “estes morangos” referimo-nos aos vendidos pela Ikigai Fruits, uma empresa japonesa que se dedica ao comércio de alimentos luxuosos. Morangos, laranjas e melões em tons que parecem ter saído de uma qualquer tabela de Pantone são a nova febre da elite norte-americana.

Se pensava que a fruta estava mais cara este ano, fruto da inflação, nada se compara às peças comercializadas pela Ikigai. Por ali, paga-se, por peças de fruta, o que se paga por uma refeição completa nos melhores restaurantes do mundo. Aqueles com várias estrelas Michelin. Aliás, há quem até já compare as frutas desta marca a uma qualquer joia da Tiffanys & Co — uma das joalharias mais caras do mundo.

Os Morangos Kotoka, da marca, têm sempre uma cor vibrante e um brilho que quase lhes confere um aspeto falso. São cultivados na província de Nara, no Japão e 500 gramas custam cerca de 83€. Já uma embalagem dos Millennials Pearl White, em tons de rosa, custam atualmente cerca de 119€. Os Kirameki ficam por 220€. Um conjunto variado de 27 morangos Kokota, Awayuki e Pearl White rondam os 700€ — tudo antes do envio.

Os empresários justificam os preços exorbitantes com o cultivo minucioso da fruta. O processo é todo artesanal, com alguns métodos que exigem a polinização manual ou até mesmo o sombreamento de cada fruta individualmente – os agricultores colocam uma espécie de chapéu como proteção contra o sol. A exclusividade e a raridade dessas frutas aumentam o custo. Além disso, são enviadas durante a noite, o que implica um gasto de cerca de 50 euros, se viver nos Estados Unidos da América.

“Há uma razão pela qual algumas dessas frutas custam centenas de dólares”, diz Ikigai. “Cada fruta deve atender a padrões incrivelmente elevados para chegar ao mercado — teor de açúcar, formato, tamanho e textura, para citar alguns. Para atingir esses padrões, os nossos agricultores empregam medidas rigorosas de controlo de qualidade. E é por isso que essas frutas são tão raras e apreciadas.”

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Ikigai Fruits (@ikigai_fruits)

 

MAIS HISTÓRIAS DE CASCAIS

AGENDA