cultura

Novo palco, mais artistas e concertos gratuitos. Todos os destaques dos 20 anos do CoolJazz

O festival conta com mais de 30 artistas, num total de sete noites e três fins de tarde de música, ao longo do mês de julho.
São 7 noites de música. Imagem: Cooljazz

Em 2004 havia apenas um concerto por noite. Agora, conta com quatro palcos e mais de 30 artistas em cartaz, espalhados por sete noites, entre 9 a 31 de julho. Duas realidades distintas, separadas por 20 anos de muita música e momentos de convívio, que culminam na edição comemorativa do CoolJazz. Para este ano, são esperadas entre 43 a 45 mil pessoas.

Foi na emblemática Casa de Santa Maria, na vila, que esta quinta-feira, 9 de maio, se realizou a conferência de apresentação dos 20 anos do festival. Na antevisão do evento, foram anunciadas várias novidades, incluindo novos artistas e um novo palco. Com o cartaz fechado, o público já pode escolher qual ou quais as datas que não quer mesmo perder. 

Uma das grandes novidades deste ano, é que os festivaleiros vão poder aproveitar o evento até mais tarde, já que as noites vão prolongar-se no novo palco Late Nights, que recebe DJ sets após o último concerto no palco principal. Com uma programação diversificada e alinhada com o tema de cada dia do festival, por lá vão passar nomes como Alex D’Alva Teixeira, Pedro Tenreiro, Progressivu ou Sónia Trópicos. “Vai fazer com que as pessoas fiquem mais tempo a conviver com amigos, com muita música para dançar”, refere Karla Campos, diretora do festival.

Assim, o CoolJazz terá, este ano, um total de quatro concertos por noite, nos diferentes espaços do festival. As portas abrem às 19 horas e, uma hora depois, começam as Cascais Jazz Sessions no Anfiteatro do Parque Marechal Carmona. Segue-se a primeira atuação no Palco Ageas (situado no Hipódromo) — que recebe o nome daquele que é o naming sponsor este ano —, e depois o concerto do cabeça de cartaz, no mesmo palco. Para terminar a noite, o público pode, então, dirigir-se para o Palco Late Nights, novamente no Anfiteatro do Parque Marechal Carmona. 

O CoolJaz terá ainda uma programação paralela, com o Cascais Lazy Sundays, que se realiza nos jardins da Casa de Histórias da Paula Rego (mesmo ao lado do Parque Marechal Carmona). Com entrada livre, o programa apresenta um conjunto de DJ sets para animar o final de tarde dos domingos de julho, marcados por música e natureza. No entanto, as escolhas musicais não vão estar a cargo de DJ’s, mas sim de personalidades bem conhecidas do público português.

No dia 14 de julho, será Inês Lopes Gonçalves e Ivo Costa a animarem o final de tarde. O casal composto pela radialista e apresentadora e pelo músico aceitou o desafio, tal como a animadora de rádio Vanda Miranda, marcada para dia 21 de julho.

Já no último domingo do mês, dia 28, será Wandson a tomar conta da mesa de mistura. “A ideia é convidar a pessoas a vir aproveitar os domingos num jardim lindíssimo, com arquitetura de Souto Moura. E, para ser algo diferente, pensámos em convidar personalidades que não são DJ’s, mas têm ligação à música e conhecem o conceito do CoolJazz, de fazer essa curadoria. Todos aceitaram o desafio. Vai ser muito giro”, sublinha Karla Campos.

À New in Cascais, a diretora da Live Experiences, responsável pelo CoolJazz desde o início, aponta as razões da longevidade do festival. “O segredo é o conceito que está por detrás do festival, de ter uma oferta diferenciada. Estamos a falar de artistas de jazz, soul, R&B, música portuguesa, brasileira, que agrada às pessoas. E cabe-nos também fazer uma boa curadoria, saber escolher os artistas que sabemos que o público vai gostar. E há muitos que já aqui tocaram e pedem para voltar. Sabem que têm a sua noite, não estão perdidos num cartaz enorme”, aponta. 

Karla Campos, ao centro, ladeada por Inês Simões e Nuno Piteira, no evento de apresentação.

Karla ressalva também a vila de Cascais como parte da essência do festival. “É uma parceira longa com Cascais, numa relação de troca. Tanto atraímos tráfego para Cascais, como o espaço também nos dá muito, os jardins, o cenário, o espaço onde o festival se realiza é fundamental para marcar a diferença”.

Nuno Piteira, vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, também marcou presença na conferência de imprensa, dando os parabéns ao CoolJazz “pelo empenho e esforço para conseguir continuar a realizar-se após 20 anos, como um festival conhecido e reconhecido”, reforçando ainda o mérito de conseguir juntar diferentes gerações. O autarca afirmou também que o evento está alinhado com os valores do município de Cascais que tem “como pilar estratégico a cultura”. E acrescenta: “Não acreditamos no desenvolvimento de cidades e vilas sem investimento na cultura”. 

Para o Grupo Ageas Portugal, o grande patrocinador desta edição, esta é uma parceria baseada em valores comuns. “No Ageas Cool Jazz encontrámos uma sintonia de atitude e valores perante a sociedade, como talento, sustentabilidade, um ambiente cool e familiar, inclusão, diversidade, imbuídos num ambiente de festa e de música para celebrar a vida, através de momentos únicos, nesta edição especial de aniversário do festival. Esta parceria vem complementar a nossa já forte aposta na cultura, nos jovens talentos e nas mais diversas formas de expressão das artes, porque acreditamos que investir na cultura é investir numa sociedade mais feliz, mais desenvolvida e com mais futuro”, refere Inês Simões, diretora de Comunicação, Marca e Cultura do grupo.

As datas, os artistas e os valores do festival

Na primeira data, 9 de julho, terça-feira, são os Air que encabeçam o cartaz. Lana Gasparotti, Marwan e Pedro Dias de Almeida (DJ set) compõem o resto da noite. Os bilhetes custam entre 30€ e 55€.

No dia 10 de julho, quarta-feira, Chaka Khan e Morcheeba sobem ao palco principal, enquanto Onoma e Alex D’Alva Teixeira (DJ set) abrem e fecham o evento, respetivamente. Os bilhetes custam entre 30€ e 75€. 

A 19 de julho (sexta-feira), o público vai poder assistir aos concertos de Dino D’Santiago, MARO, Rogério Pitomba Trio e terminar a noite com Progressivu (DJ set). Os bilhetes custam entre 25€ e 40€.

Na semana seguinte, a 26 de junho, sexta-feira, o jazz toma conta do recinto com Diana Krall, Manuel Oliveira Trio eEunice Barbosa. Pedro Tenreiro (DJ set) termina a noite musical. Os bilhetes custam entre 30€ e 70€. 

No dia 27 de julho, sábado) é o clima tropical que invade os palcos com atuações das brasileiras Marina Sena e Luedji Luna, Samalandra e Sónia Trópicos (DJ set) a fechar a noite. Os bilhetes custam entre 20€ e 45€.

A 30 de julho, terça-feira, tocam Fat Freddy’s Drop, Expresso Transatlântico, Gisela Mabel e Matilde Castro (DJ set). Os bilhetes custam entre 30€ e 45€.

Para finalizar a edição, a última data marcada para 31 de julho, quarta-feira, conta com nomes de peso como Jamie Cullum, Inês Marques Lucas, Guilherme Melo e Beatriz Pessoa e Daniel Mota (DJ set). Os bilhetes custam entre 30€ e 60€.

MAIS HISTÓRIAS DE CASCAIS

AGENDA