cultura

“Uma geografia de mistérios” em madeira toma conta do Centro Cultural de Cascais

A exposição de escultura do artista alemão Volker Schnüttgen será inaugurada a 13 de julho, sábado.
"Listening to an oak", uma das peças em destaque.

Já lhe contámos, neste artigo, duas exposições que marcam a programação de verão do Bairro dos Museus, em Cascais. “Abraço ao Infinito”, de Bettina Vaz Guimarães, foi inaugurada a 28 de junho e “O poder da paisagem — Olhar uma paisagem e pensar no mundo”, que reúne uma coleção do Museu Nacional Grão Vasco, abriu ao público no dia seguinte. Agora, está prestes a chegar uma terceira, desta vez ao Centro Cultural de Cascais. 

“A geography of mysteries” (na tradução: uma geografia de mistérios) é dedicada à obra de Volker Schnüttgen, artista alemão, de 63 anos, radicado em Portugal desde a década de 1990. Concebida em parceria com a Zet Gallery, galeria de arte contemporânea situada em Braga, a exposição é uma iniciativa da Fundação D. Luís I e da Câmara Municipal de Cascais. 

A mostra é organizada em quatro espaços, que correspondem a séries de trabalhos que Volker Schnüttgen produziu em diferentes fases da sua carreira artística, tendo a madeira como o fio condutor das esculturas. O artista explorou também as possibilidades plásticas da pedra e do ferro, é a madeira, em particular a de carvalho, que tem marcado o seu processo criativo.  

Entre as obras apresentadas, “Landscape #2”, que abre a exposição, “reflete a influência que diversas experiências em Moçambique exerceram sobre a prática de Schnüttgen”, nota Helena Mendes Pereira, diretora e curadora da Zet Gallery. “Já ‘Listening to an oak’, reúne um conjunto de peças em que o artista, verdadeiramente, desvenda os sentidos da matéria, num exercício reflexo do seu trabalho de experimentação constante e respeito pela magia das árvores”, lemos na apresentação da mostra. 

Destaca-se, ainda, “Encyclopedia of nature”, peça onde o artista se aproxima “das formas do real figurativo, evidenciando a constante dimensão poética do seu processo criativo que combina o domínio das tecnologias e materiais”, refere a curadora. Ao esculpir 22 livros em madeira, “o artista evoca a natureza enquanto detentora de todas as razões, emoções e de todas as formas iniciais de conhecimento. 

“Enciclopédia da natureza”, livros esculpidos em madeira.

Volker Schnüttgen nasceu em Attendorn, na Alemanha, em 1961. 20 anos depois, inicia seus estudos em escultura e gravura na Universidade de Artes de Bremen. Em 1992, recebe uma bolsa do Ministério dos Negócios Estrangeiros português e, desde 1993, que vive e trabalha em Sintra, Portugal. Em 1999 ganhou o Prémio Cultura do Conselho de Olpe, Alemanha.

Em 2008 concluiu o mestrado em Multimédia pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde também lecionou escultura de 2010 a 2016. Nas últimas décadas, a sua obra tem sido exposta em países como Portugal, Alemanha, Espanha, Suécia, Holanda, Moçambique, Estados Unidos e Irão.

A exposição abre ao público a partir de dia 13 de julho, sábado. Poderá visitá-la até 6 de outubro de terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas (última entrada às 17h40). O Centro Cultural de Cascais situa-se na Avenida Rei Humberto II de Itália, nº 16.

O bilhete custa 5€ (com acesso a todas as exposições patentes no CCC), 15€ (com acesso a todos os equipamentos do Bairro dos Museus durante 24 horas), ou 25€ (com acesso a todos os equipamentos do Bairro dos Museus durante 72 horas). 

MAIS HISTÓRIAS DE CASCAIS

AGENDA